domingo, junho 11, 2006

Esta realeza frequentemente...irreal!

Se o sistema até nem me desagrada...os personagens metem dó!

No imaginário de qualquer plebeu abundam as histórias de principes e princesas, de sapos que após umas beijocas se transformam em principes, de princesas sapatudas com coches que não passam de abóboras, lindas princesas que se dão mal com o trânsito parisiense,principes com orelhas de burro,enfim, histórias que terminam quase sempre de uma forma feliz e com muitos filhinhos.

Infelizmente para as casas reais europeias o presente não correponde ao nosso imaginário,pois os personagens actuais parecem saídos de um qualquer filme de Fellini. Em Inglaterra, a familia real que era provávelmente a mais mediática e admirada de todas, está hoje uma sombra do passado. O Principe herdeiro que já não colhia grande admiração dos súbditos, resolve casar com um camafeu de rodagem feita e a precisar já de revisão. Isabel II que podia estar já descansadinha a tratar do jardim, permanece no trono para que os britânicos não tenham um Rei e uma Rainha (com muita sorte) com aspecto alienígena!

Já no principado do Mónaco onde Rainier e Grace colhiam o respeito e admiração de todos e protagonizaram uma bonita história de amor, trágicamente interrompida por um acidente de viação em circunstancias pouco claras, que vitimou Grace, assistimos ao longo dos ultimos anos a tristes episódios protagonizados pelos filhos. Um herdeiro encalhado e aparentemente mais dado a futebóis e automobilismo, uma princesa a colecionar amores falhados e uma viuvez precoce e a irmã caçula que se apaixona por tudo o que mexe, começando por um guarda-costas, passando por um trapezista, um palhaço rico,dois domadores e quatro focas amestradas.

Eis que surpreendentemente, o Principe Alberto após a morte do pai, desata a assumir paternidades a torto e a direito desmentindo todos os que o acusavam de ser pouco dado a deixar descendência. Vai daí, assumiu a paternidade de um Togolês,fruto de uma curta relação com uma hospedeira da Air France. Desconhecemos se foi concebido em pleno voo o que seria interessante, para avaliar melhor as implicações da altitude na contracepção.Mais recentemente decidiu assumir também a paternidade de uma jovem de 14 anos, californiana, produto de uma relação fugaz, com uma senhora casada, empregada de mesa e que se manteve todos estes anos no anonimato.

Segundo informações priveligiadas a que este inferno teve acesso, Alberto não vai ficar por aqui e prepara-se para assumir a paternidade de um cágado da Guiana Francesa e de um vaso da dinastia Ming.

Por cá, em contrapartida é tudo muito mais pacifico. O nosso Dom Duarte Pio João Miguel Gabriel Rafael de Bragança vive felizmente com a sua Isabelinha, os três filhotes e o jardineiro e a unica preocupação que lhe conhecêmos é Timor. E isso ocupa-o totalmente pelo que não aborda outro tipo de questões faz pelo menos 5 anos.

Não será a hora de a Europa pôr os olhos neste cantinho e devolver o romantismo ás casas reais europeias?

eheheheeh!

64 comentários:

SentadaAoLuar disse...

Já percebi pq vive o nosso D. Duarte em harmonia c a família e o seu fiel jardineiro, é claro q ele tem de estimar bem o pai do seus filhos...eheheheheh

amigona disse...

Concordo contigo.. mas achas que o melhor exemplo é o dom Duarte? A sentadaaoluar é tão mázinha!!!! eheheh!

Alien8 disse...

É a vida difícil da aristocracia, retratada num post diabolicamente bem humorado :)
Abraço.

Carmen disse...

Acho muito bem...um casal real tão lindo e tão pouco dado a escandalos é, sem dúvida, um exemplo para a monarquia europeia!!!


Ganda Pauleta!!!!!!

cloinca disse...

Que boa surpresa encontrar-te aqui na blogosfera!
Achei um piadão a essa dos homens serem como os diabos... só q com a cauda do outro lado!
Lembrei-me de uma frase dita por alguém ... "os homens são uns diabos, não há mulher que o negue... mas todas elas procuram, um diabo que as carregue!"
;)
Então... isto é engraçado... escreves um texto (e muito bem por sinal!) sobre "fairy talles"... e eu coloquei no blog a foto dos castelo da cinderela... ou será da bela adormecida?!... Olha agora fiquei na dúvida!... ih, ih...
Não interessa nada agora...
Vou adicionar-te aos meus links, gostei muito de te ler!
E tu, aparece no meu cantinho sempre que quiseres... mafarricos são sempre bem vindos, desde que se portem bem! Ih, ih...
bjokas,
Cláudia

Sulista disse...

Retiraste isto da "Maria" ou do "24 horas"?...qq das formas, para mim, a culpa é toda do cavalo onde o carlitos está montado!

Ehehehehehe
saudações do sul ;-)

wind disse...

A monarquia portuguesa é de facto um bom exemplo e nada como o jardineiro para o provar. ehehehheh:)

Visi disse...

Heloo! I'm back! hihi...
Concordo plenamente com o que escreveste.As monarquias já não são o que foram...alias atrevo-me a dizer: AGORA já MOSTRAM OS PODRES!!

Crymynoso Compulsyvo disse...

Pois, isto da realeza tem pano para muitas mangas. Até para camisolas e para bandeiras de Portugal. São realeza, pronto, é como os nossos ministros, podem tudo. Até ter um filho em pleno avião. Bem dito.

Menina_marota disse...

eheheheh... e, eu que gostava tanto de histórias de encantar e do final... foram felizes para sempre.
Já não kero ser princesa!!! eheheh

Um abraço sorridente ;)

pexeseco disse...

O peixeco teve lá a ver aqueles Ursos a jogarem (máis pareciam mulheres Gravidas)Mas pronto uma Vitória é "MUTA FIXE"


agora tenho que arranjar bilhete para o Mexico -Portugal (na Candonga é claro)

""""""VIVA PORTUGAL"""""""

susana disse...

muito bom mesmo eh eh eh... concordo em absoluto. comparada com a Camilla e com o Carlos de Inglaterra, a nossa família real é só classe ;)
boa semana :)

deep disse...

Cáustico!
Será que os nossos "reis" vivem de facto um conto de fadas? Eu confesso que tenho sido, desde que eles casaram um muito céptica... cmo noutros tempos, soa.me sobretudo ao resultado de conveniências. A verdade é que poucas vezes me lembro do feliz casal, só mesmo quando, no médico ou na cabeleireira, folheio uma "daquelas" revistas.
Boa semana.

MARFER disse...

Fantástico!Bjs

Aragana disse...

Isso, serve apenas para relembrar a todos que as famílias reais nao são nem mais nem menos que qualquer família bairrista de qualquer parte do mundo!
Se o Charles casou com a Diana e nao com a Camilia logo desde início foi por causa do que é aceitável e nao aceitável... e por aí fora.

Beijocas!

tb disse...

Gosto de "ver" as tuas diabruras!
Saudações!

manuel disse...

Sorri com agrado, o que no final da manhã de trabalho é sempre saudável.

Rui Martins disse...

bem... a grande revelação ainda está por surgir: Alberto vai também assumir a paternidade do filho de Angelina Jolie e Brad Pitt.

Os dois é que ainda não sabem...

Divulgo assim esta notícia em primeira mão.

Mocho Falante disse...

ahahahahahahahahaha

aqui está a brilhante verdade da futilidde dos senhores

loooll

abraços

Ps: Adorei a do cagado rsrsrs

Isolamentos disse...

...só pela fotografia já vale a pena... :) e essa é a história da monarquia europeia actual...contada sem tirar, nem pôr... :)

Alien David Sousa disse...

Querido Belzebu, ainda estou a rir... lol a foto é das melhores com que já me deparei lol
Quanto ao texto nem precisa de comentários, bem, até que precisa: eu não quero uma cavalona dessas a representar um dia o nosso Portugal! ;)

Tia Cremilde disse...

Lindo! LOLADA!
Sugiro que para um próximo post do género se trate também do Barão austíaco Stefan von Breisky que esteva noivo daquela doida da elsa rapouso e que até hoje ninguém percebeu que raio de barão é ele!

Ana disse...

Essas casas reais já não sabem manter o nível!!! lolol

rute disse...

O cartoon é o máximo e o texto tanbém. Castelos e pricípes encantados só mesmo nos Contos de Fadas! Decididamente!!!

Muitas diabruras!...
Até à próxima.

Miudaaa disse...

Com tudo o que acabei de ler,,, só te digo,,, não QUEROOO ser Princesa!!!
Bom Post!!!
:o)

Roderick disse...

Não foi "...por Timor..." que ele disse. Foi "...por ti 'mor...".

Quando ele se dirigiu à Isabelinha.
A Comunicação Social é que não entendeu e pensou que "Sua Alteza" estava a falar da antiga colónia portuguesa.

Vilela disse...

acham que se fizerem uma festa privada, entre eles, a descendência vai aumentar?!pelo menos não há problema se houver festa na maternidade, passado 9 meses...

al cardoso disse...

No que respeita a monarquia e isto tirando o magnifico humor que, decidis-te agregar ao "post" se nao fosse melhor tampouco iria contribuir para piorar a situacao.
Em Portugal eu estou a favor do regresso a monarquia, mas nao creio que os politicos estejam interessados em promover um referendo para isso, resta-nos vermos a virtual familia real a actuar mais comedidamente que outras no poder.

Um abraco e saudacoes monarquicas.

Entretanto temos que contentar-nos, com um rei eleito de 10 em 10 anos, voltamos ao tempo dos visigodos.

francis disse...

Parece que a Realeza tem atracção pelo abismo!
É impressão minha ou o Cavalo do Tcharles é mais bonito do que a Camila Papa-bolas? :-)))
Excelente!
Um abraço!

Catarino disse...

É verdade, deviam por os olhos nesse grande homem (ou não) que é dom Durte, e a sua querida isabeliha, o exemplo de um casal de princippes perfeito, pena é que nunca cheguem a reis LOOOOOLLLL
Um abraço

Sofia disse...

Gosto da loucura deste inferno. fazem-me rir,

um beijo

Yashmeen disse...

Pensava que o D. Duarte tinha mais filhos...
Temos que confessar, a aristocracia inglesa é assim tipo livro do Dickens...

Ana P. disse...

Vim agradecer a visita
Beijos

Teresa Durães disse...

(agradecendo a visita ao belzebu bem humorado)

E será que se tivessemos monarquia os filhinhos do D. Duarte não resolviam pregar das suas?

Com a qualidade de presidentes que andamos a ter e a ... que se passa neste país, até eu começo a pensar em ser monarca, querer festejar os anos do Rei, Rainha e príncipes...

jomaolme disse...

LOL!!!Deixaste-me ás gargalhadas...E é bem verdade que a realeza já não é o que era...E os netos do Rainier sp todos bebedos com cada moca...sp a fazer figuras tristes...é uma desgraça...

beijokas

marta r disse...

Este nosso cantinho, realmente, é um sossego comparado com os outros...
Temos é que deixar os pupilos do D.Duarte crescerem um bocado para ver se o sossego se mantém...

Mónica disse...

bem... nem sei se hei-de levar-te a sério ou não!!!
dás uma no cravo outra na ferradura, tou a ver q gostas de cavalos....ou és ferreiro???

marakoka disse...

eheheh coitado do nosso pio:)))))
dudu.....

jocas maradas

Bel disse...

Há demasiado cinismo em todas as historias de principes e princesas e há sempre um tunel há frente.
boa semana

Araj disse...

Como são lindas as histórias dos príncipes e das princesas.......

mafarrico disse...

Por acaso eu até acho que os Países governados por monarquias deviam seguir o nosso exemplo.

Os melhores reis são os apeados!

Nem é preciso recorrer a métodos muito radicais como fizeram os Franceses. Basta convidá-los a assumirem que não passam de vulgares mortais...

Maria disse...

Antes de mais queria agradecer a tua visita lá no espaço.

Depois de ler o comentário que lá deixas-te, passar no teu profile e agora este texto, ainda que breve, pois não tive ainda tempo para mais, mas lá chegarei, agora entendo.

És ariano e basta.

Muito bom o post. Mas faltaram-te algumas monarquias - Tens Espanha aqui ao lado que também daria uns cartoons fantásticos (a começar na rainha Sofia e a terminar na Doña Helena e su esposo Jaime de Marichalar), tens também o caso dos países nordicos com suas casas reais um puco mais recatadas mas também dignas de observação - o caso das manas a Princesa e o Monstro, Magdalena e Vitória, a da Noruega que era divorciada e já tinha um filho e foi a grande polémica casar-se com o herdeiro do trono, enfim, tens ainda muito por onde explorar no que diz respeito à Monarquia.

Sulista disse...

Bem, para não fugir à regra, começo por dizer:
Obrigada lá pela visita...ehehehehe!

Qt ao resto, continuo convicta de que se não fosse de esquerda, seria monárquica. O que está cientificamente provado que equivale à teoria de que se a minha avô não tivesse nascido, eu não estava aqui a dizer disparates.

Ugh! Cara-pálida falou!

;-)


ps- 43 comentários!

Popper disse...

O Bertinho é uma alma larga. Ainda bem! Um abraço.

SA disse...

tEMOS uma monarquia mais decente mas menos emocionante, verdade seja dita :)

sofyatzi disse...

Como sempre, uma critica espectacular, cheia de bom humor!!!
Espero que esse sentido de humor exista sempre!!!

Adorei!!!

Beijocas

sofyatzi disse...

Como sempre, uma critica espectacular, cheia de bom humor!!!
Espero que esse sentido de humor exista sempre!!!

Adorei!!!

Beijocas

agua_quente disse...

Fiquei espantada com o teu conhecimento das monarquias europeias... :)) . Concordo, o nosso rei (salvo seja) é um exemplo a seguir em tudo... principalmente na forma como trata bem o jardineiro! :))
Beijos

Catwoman disse...

Quando se tem um jardineiro eficiente... hummm... tudo corre bem!!! Vivam as flores... e os belos troncos de pau...

O meu rei és tu, só me interessa o teu cantinho em chamas...

Miauu*

Alien8 disse...

Um abraço alienígena.

Cláudia disse...

Excelente....alem do romantismo da realeza Europeia...adorei a parte do jardineiro e dos 5anos...eheheh
Beijinho

Mac Adriano disse...

Apesar de tudo, talvez porque nunca a promoveram tão mediaticamente como à inglesa ou à monegasca, ainda existe a normalíssima família real espanhola, aqui mesmo ao lado (e que, na verdade, podia ser a nossa). E, afinal, sabe-se já que a família real espanhola fica bem mais barata do que a família política de Cavaco e Sócrates. Eu até nem sou monárquico, é verdade, mas ao ver no que se transformou a república, fiquei confuso. E o rei Juan Carlos até sabe falar em bom português. Claro que aí não vão Cavaco e Sócrates buscar ideias, pois preferem ir buscá-las a esses anormais anglófonos, de quem a família real inglesa acaba por ser um espelho.

Miguel disse...

A nossa sim ...
È que é uma casa real exemplar!

Nem dá muito gasto do erário publico!
Acho eu!

Bom feriado!

Bjks da Matilde

RPM disse...

eu por cá fico descansado porque o 'rei' dos Açores é, actualmente o Carlos César que tem um excelente professor, nada mais nada menos que o seu homólogo e arqui-rival partidário Alberto João Jardim....

mas como este meu 'rei' é um pobrezinho anda sempre a pedir para que o Imperador Sócrates adiante mais algum para S. Miguel porque para as outras ilhas, chega bem contadinho......

um abraço

RPM

BlueShell disse...

De facto...

Grata pela visita e pelas palavras de força!
Beijo azul
BShell

Casemiro dos Plásticos disse...

a imagem TÁ DEMAIS LOL

Mitsukai disse...

A foto faz-me lembrar da nossa queridíssima Paula Bobóne!!...Digam lá se num é parecida (e não é com o cavaleiro)...até de cara!!

Enfim...é a fina flôr do entulho!!

Mia Pierrèt disse...

assim q conseguir deixar de rir, opino qq coisa sobre o assunto.

Arrebenta disse...

O Pretendente a Herdeiro, seguido de mais uma bastardice da Sonsa das Maiorias Absolutistas

Dedicado ao Kaos, e a alguns membros da minha família, por razões óbvias



No Princípio, era Godoy
-- cavalo do bom, "ia" ao marido e à mulher --
e gerou, de Maria Luísa de Bourbon-Parma, sua filha Carlota Joaquina,
que, por sua vez, gerou do Marquês de Marialva -- bicha do piorio, a quem Bedford, vinha de propósito, de Londres, fazer broches (tal qual como os nosso colunáveis vão hoje à favela brasileira -- agarra, Monchica, esta é directinha para ti!...).
que, dizia eu, gerou do Marquês de Marialva e do Jardineiro do Ramalhão,
Sua Majestade D. Miguel I de Portugal, e dos Algarves,
numa época chamada "Absolutismo", e que se caracterizava por, sempre que ela -- a maior puta que se sentou no Trono Lusitano -- tinha cio, mandar subir ao quarto o mancebo de libré que lhe guardava a porta. Eles saíam do colchão bem mais leves, e muito mais patenteados, uma espécie de Miss Fardas da altura, mas num nível de putice mais solene e majestático.
D. Miguel I ficou conhecido, em Portugal, pelas suas garraiadas, que eram uma espécie de "aceleras" da Ponte Vasco da Gama, mas montados a cavalo, e num "salve-se quem puder" do esborrachar o Zé Povinho. Quando não os esborrachava, nas garraiadas, dava-lhes com a moca, tendo passado para a História os célebres "Caceteiros Miguelistas" (deviam ter um ar parecido com o do "Major"...). As guerras entre Liberais e a Corja Miguelista fizeram multidões de mortos, e lançaram o país na mais profunda ruína.

Por estas coisas e outras tais, exilados, para SEMPRE, pela Carta Constitucional de 1834, dedicaram-se os Miguelistas a pôr ovos -- já não fecundados pelo Jardineiro do Ramalhão -- por terras austro-húngaras, bávaras, alemãs-"avant-la-lettre" e suíças.
Foi D. Miguel (II) gerado, por seu pai, da Freira Adelaide, e nunca lhe passou essa costela da beatice: quando Pio IX, um calhamaço de empatanço histórico, dogmático, e anatemizador da Felicidade Humana --- o João Paulo II da época -- se levantou contra a Reunificação Italiana, D. Miguel (II) apresentou-se-lhe, todo travestido de Zuavo, dizendo "que estava às ordens de Sua Santidade" para tudo o que fosse reaccionário, violento, e exterminador.

Era um homem de bem: aquando da I Guerra Mundial, já ocupava um alto posto no Exército Austro-Húngaro, por acaso, entrado em guerra com Portugal. Alguém lhe assoprou ao ouvido que ditava o mínimo bom senso que abandonasse essa hierarquia do exército que estava em luta com a pátria do seu pai...
De Dona Maria Teresa de Loewenstein-Wertheim-Rosenberg, gerou D. Miguel (II) seu filho D. Duarte Nuno, nascido no Castelo de Seebentein, em terras de Áustria, portanto, nascido cidadão austríaco.

D. Duarte Nuno viveu períodos muito atribulados da nossa história, a ascensão do Salazarismo, regime que sempre lhe cheirou bem, ao ponto da Câmara Corporativa se ter sobreposto aos actos do Regime Monárquico, permitindo -- única coisa com que humanamente aqui concordo... -- o regresso desse ramo familiar a Portugal, sempre que o quisesse. Em troca de sacar os bens da Casa de Bragança para o Estado Português, Salazar, rata sábia, deu-lhe um osso para ir roendo, o de poder usar o título -- enfim, não é título... -- de PRETENDENTE.
Ele adorou e roeu.
Não se conhece, a D. Duarte Nuno, nenhum acto de condenação do Totalitarismo que imperou, em Portugal, durante 48 infindáveis anos. Quando a II Guerra começou, basou logo para a Suíça, onde gerou o cidadão helvético Sr. D. Duarte Pio João Miguel Henrique Pedro Gabriel Rafael, Príncipe da Beira, e seus dois irmãos, uma bicha -- mais uma -- D. Miguel, e D. Henrique, reconhecido pela Ordem da Grã-Cruz dos Oligofrénicos.

Perguntavam à mulher do pai de um amigo meu, por que mantinha ele relações de convívio com Duarte Nuno, e a senhora, muito dignamente, costumava responder que "devia ser por serem ambos bêbedos e terem dois filhos atrasados mentais".... Mães de antigamente...

Não me venham perguntar do que é que eles, Miguelistas, viviam: na altura, ainda não se branqueavam capitais, não se usava o Futebol como cortina do Tráfico da Droga, o Tráfico de Armas era limitado à Alemanha Nazi, sob o disfarce da Cruz Vermelha. Certa, a única fonte que se lhes conhece era uma renda, recebida na Rua António Maria Cardoso, até 25 de Abril de 1974, por causa de uns inquilinos discretos, chamados PIDE, a Polícia Política do Regime, e até eram gente pacata, só se ouvindo gritos quando davam choques eléctricos nos genitais, arrancavam unhas, moíam à cacetada os interrogados, ou mandavam, para os anjinhos, de quando em vez, um deles. Afora isso, foram sempre gente certa, pagadora, e permitiram comprar muitos dos sorvetes que D. Duarte Pio chupava.
Vem tudo isto a propósito de mais uma cretinice da Socratina -- que, violando toda a História de Portugal, sobrepondo-se às decisões radicais da Carta Constitucional, e dos Actos de Banimento da Primeira República, esquecendo o que o exilado D. Manuel II tinha respondido aos Integralistas Lusitanos, de que "a coisa monárquica estava encerrada em Portugal" -- D. Manuel II foi dos poucos decentes, de entre a longa linhagem de gebos bragantina: bibliófilo e esteta, casado com a lindíssima Maria Augusta de Hohenzollern, cedo percebeu, no seu exílio inglês, que não se podia pretender ser Rei de um país já então completamente desintegrado das suas raízes -- e, dizia eu de que, a Socratina, ultrapassando mesmo, as ingerências do Estado Novo, decidiu, de um dia para o outro, que D. Duarte Pio, Senhor de Santar e Senhorio da PIDE, passava de "pretendente" a... HERDEIRO do Trono de Portugal.

Muito gostava eu de que a Sonsa, que nos governa, explicasse este pequeno milagre da Fé. Suponho que seja o seu pequeno "Simplex" monárquico, mas saiu-lhe, e saiu-se, mal. Por mais que ela se abespinhe e ponha em pontas, não há "herdeiros" do Trono de Portugal, há "pretendentes", e, no caso vertente, o Pretendente da Fraca Figura. Por oposição, daqui saúdo D. Juan Carlos de Bourbon, estadista exemplar, e figura maior do séc. XX, restaurador da Democracia em España, símbolo tutelar do desenvolvimento de um dos países mais prósperos da União Europeia. Arranjem-me um rei desses, e até eu o reconheço já amanhã.

Perguntem ao Sr. Dom Duarte Pio se sabe o que é feito dos seus antigos inquilinos da PIDE. Parece que, em substituição, e o valor não veio a lume, mas lembro-me de ser, há uns anitos, coisa já a rondar os 5 000 €. E quem paga?... Pois paga o Estado Português, eu e você. leitor, uma renda, superior a 5 000 €, ao ex-senhorio da PIDE. Dá vontade de perguntar se um gajo, que nunca sentiu o cheiro dos seus inquilinos, seria capaz de reconhecer, pelo olfacto, os seus 10 000 000 de pretensos súbditos. Quanto a mim... não.
De armas na mão, a minha família combateu os antepassados desse... cavalheiro; cosidos com as sombras, foram diversas vezes vítimas das perseguições dos seus inquilinos da Rua António Maria Cardoso.

Nessa tradição, é assim que aqui lhe pinto hoje o retrato. É pessoa que não me merece qualquer respeito, excepto alguns vagos juízos patéticos, sobre mais uma das muitas peças do nosso grande património histórico degradado: para todos os efeitos não passa de mais um fóssil, de inteligência duvidosa, que descende, em teoria, e em linha directa, através de duas bastardias, de Eudes, e de Hugo Capeto, Conde de Paris, o que, para os apreciadores dessas coisas, não passa de uma mera curiosidade genealógica, e, a mim, não consegue arrancar-me, sequer, o ar crispado e sisudo com que estive a redigir este texto.

Muito boa noite.

Arrebenta disse...

Adenda a Dom Duarte Pio, seguida de uma bocejada leitura do Protocolo de Estado

Estava eu a ler uma edição, que me ofereceram, aliás, com uma encadernação muito bonita, do Protocolo de Estado, quando verifico, com surpresa, que tinham mesmo tirado de lá o Cardeal-Patriarca.

Ora, já algures, num "post", aí para trás, disse porque discordava disso. Embora não-católico e não-cristão, a figura do Cardeal-Patriarca representa, para muitos portugueses, um determinado valor, que ultrapassa o opinativo. Personalizando -- o que não deveria -- até acho este Cardeal-Patriarca um pândego, e penso, mesmo, que, se não estivéssemos a viver os tempos lúgubres da ascensão de todos os fundamentalismos, ele daria um excelente Papa João XXIV.

Continuando a leitura, verifico que também de lá tiraram o Hermann (!), aliás, suponho que pelos mesmos motivos, embora ignore, ou prefira ignorar, os motivos pelos quais, alguma vez, esse Senhor Krippahl terá entrado para a Lista do Protocolo de Estado...

Por ali fora, por ali fora, de repente, dou de conas com o Duarte Pio, "Herdeiro" (!) do Trono de Portugal... Bom, o Pretendente passava a Herdeiro, e, em contrapartida, tiravam o Patriarca.
Acontece que, ao contrário do "Herdeiro", o Cardeal Patriarca é um título de um tempo em que fomos magníficos, e nos dávamos ao luxo de ter um Patriarca das Índias, do Oriente, de todas as Rotas, da nossa Aldeia Global Lusitana, ou seja, convidar o detentor dessa designação, não era convidar a cabeça de uma confissão religiosa maioritária, mas antes era um sinal heráldico de uma certa grandeza armilar, velhas jóias de família, que não envergonhava ninguém poder continuar a mostrar.

Em seu lugar, temos agora Duarte Pio, do ramo banido e reaccionário da Casa de Bragança, o ramo caceteiro, mera curiosidade de uma má história, representante do tempo em que nos fomos tornando mais pequenos, cada vez mais limitados, e medíocres, ao ponto de, como num filme a preto e branco -- um certo Fritz Lang -- só sobrar uma sala de paredes frias, e uma luz cegante, pendurada no tecto, apontada à face de pessoas, impedidas de dormir, noite atrás de noite, tortura após tortura, na Rua António Maria Cardoso, numa sombria assoalhada, alugada a esse mesmo senhor Dom Duarte Pio, tão-só para ali serem condenadas, pela simples defesa da curta palavra "Liberdade".

No início do séc. XXI, o medíocre Portugal do medíocre Sr. Sócrates deu-se ao luxo de arrancar da Lista do Protocolo de Estado um Patriarca dos Tempos de Glória, para o fazer substituir por outra figura ainda mais medíocre e parda, a figura do Bragança Sénior, Senhorio da P.I.D.E.

Parabéns!

Duarte Pio o Granda Tretas disse...

Se querem saber mais desse Duarte Pio basta consultar este blogue:

http://www.duarteotretas.blogspot.com/

Anónimo disse...

What a great site »

Anónimo disse...

Cool blog, interesting information... Keep it UP http://www.winsor-pilates-2.info Professional tooth whitening new yorksbox 0 travel south america Fitness centres in london Best didrex pharmacy overnight delivery http://www.take-phendimetrazine-exactly-as-directed-by-your-doctor.info Gay rights articles Countries purchasing tamiflu from roche http://www.hotmasterspatub.info literotica

Anti Rei Faz-de-Conta disse...

O único problema disto tudo é que o Duarte Pio muniu-se de "amiguinhos" para o ajudarem na promoção das mentiras e na conservação do trono e, em troca, concede-lhes umas medalhinhas e honras afins.

Para que conste: a única sucessora directa da coroa portuguesa foi D. Maria Pia de Saxe Coburgo Bragança, filha do Rei D. Carlos I de Portugal com D. Maria Amélia Laredo e Murca e, consequentemente, irmã do Rei D. Manuel II.

A seu tempo a verdade virá ao de cima e cairão por terra muitos dos monárquicos que andam enganados pela falsa Causa Real Duartina.