terça-feira, novembro 17, 2009

Os referendos... e as voltas e revoltas do espírito democrático.

Ontem houve debate televisivo acerca do tema acima mencionado!
Foi um momento de rara beleza em que pudemos assistir à mistura de temas, que apesar de potencialmente ligáveis entre si, deverão ser tratados de forma separada.
Uma coisa é o casamento entre duas pessoas (que só as implica a elas) outra completamente diferente é o acto de adoptar crianças (que já implica as crianças).
E, apesar de eu, pessoalmente, não ter reservas de princípio à adopção de crianças por casais homossexuais, parece-me que agora nos deveremos concentrar apenas na questão dos casamentos.
É que só mistura os temas quem não quer nenhum dos assuntos aprovado em sede parlamentar.
Só mistura os temas quem quer usar a bandeira da adopção para impedir o casamento entre homossexuais.

E por isso, este frenesim referendista!

Tenho andado a pensar no assunto e... depois de voltar a ver os representantes da Associação Nacional de Famílias numerosas do lado pró-referendo (como aliás estiveram do lado pró-referendo do aborto) até tenho medo de os voltar a ver do lado do pró-referendo da regionalização. Deve ser assim uma espécie de culto familiar por urnas eleitorais!

Como quem diz: Em Portugal votam poucos, mas cá em casa votam todos e de acordo com o patriarca. Ai não que não votam... ou então não comem a sopa!

Para variar, atrevo-me a sugerir um referendo contra as famílias numerosas.
Porque é que eu, que só tenho uma filha (e um casamento heterossexual) tenho de pagar mais impostos que quem se reproduz à fartazana?!

Parece-vos bem?

É que isto era tudo muito bonito no tempo em que filhos eram mão-de-obra barata!
Agora é preciso educá-los!
Será que o problema para a associação das ditas cujas famílias numerosas é que a despenalização do aborto coloque em causa a normal procriação?
Será que as famílias numerosas se sentem ameaçadas pelos casais vizinhos que não se podem reproduzir?!

Se calhar e questão nem é bem essa. Deve ser apenas porque gostam de excluir!
Mas... lá ando eu baralhado. Isso é que ando!

E, ainda por cima, porque são muitos... votam muitos...
O que nos vale é que os Portugueses, num invulgar acto de bom senso, se reproduzem pouco!
Ao menos isso!

7 comentários:

Simplício Simplório disse...

...E ainda há por aí certos visionários dominicais que argumentam com o perigo de uma invasão muçulmana, visto daqui a alguns anos a população europeia ser muito reduzida, nomeadamente os filhos que possam defender a civilização ocidental e cristã.

Cumptos.

joana disse...

Eu ca para mim a familia não tem que ser numerosa,principalmente nos dias que correm,para se poder dar uma boa educação quantos menos melhor,para se poder dar uma melhor qualidade de vida,mas nem todas as mentes pensam assim,
Beijocas e bom feriado

tb disse...

tenho para mim que se reproduzem à ratazana, mas fartazana não está mal... :) Não andes baralhado que é o que eles querem. Olha, em números reprodutivos estamos quites. :)
Abraço com os braços bem abertos para não embaralhar nada :)

Marco Ferreira disse...

Saudações

Um feliz natal na companhia daqueles que mais amam. Um sapatinho cheio de alegria, saúde, e que todos os vossos sonhos se possam realizar.

Abraço

marinheiroaguadoce a navegar

A Lei da Rolha disse...

Um feliz e próspero ano novo, e que o que se aproxima seja bem melhor, são os meus mais sinceros votos.
abraço

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE:
O CONTRABLOG


DESEANDOOS UNAS FIESTAS ENTRAÑABLES OS DESEO FELIZ AÑO NUEVO 2010 Y ESPERO OS AGRADE EL POST POETIZADO DE LA CONQUISTA DE AMERICA CRISOL Y EL DE CREPUSCULO.

José
ramón...

Å®t Øf £övë disse...

Mafarrico,
Com ou sem referendos, a verdade é que os nossos ditos governantes, vão fazendo o que bem lhes apetece a seu belo prazer.
Abraço.