terça-feira, novembro 20, 2007


A guerra não faz bem à saúde!

Não sou nem nunca fui um pacifista, tenho plena consciência que a diplomacia tem limites, que em casos extremos o uso da força se revela a última das formas de garantir a paz! O "dar a outra face" nunca constou das minhas opções, tendo sempre optado pelo "dar a cara", pelo enfrentar os desafios com firmeza e pela defesa intransigente dos valores que defendo.

A opção da guerra, devendo ser a última de todas as opções, deveria implicar um sem número de responsabilidades, a todos aqueles que a defendem e mais do que isso, que as suscitam.

Aqui entramos numa questão que Portugal enquanto Estado, tem vindo a auto-desresponsabilizar-se ao longo dos últimos 30 anos. A forma como o Estado tem vindo a ignorar, todos aqueles que combateram no Ultramar, por uma causa com que discordavam, internacionalmente condenada e considerada vital, por um regime politicamente moribundo.

O dramatismo das sequelas nesses combatentes, que segundo estudos recentes, se podem revelar 20 e 30 anos depois, carece de reconhecimento. O Estado democrático herdou uma herança difícil de gerir, mas é nesse Estado que todos nós nos revemos.

Segundo vários estudos internacionais recentemente publicados, as disfunções comportamentais, o stress pós-traumático, as tendências suicidas, o alcoolismo, as depressões graves detectadas em militares, que recentemente regressaram de teatros de guerra, são um verdadeiro flagelo social.

Partindo do princípio de que não há guerras de primeira nem guerras de segunda, seria da mais elementar justiça, proporcionar aos nossos ex-combatentes, 30 anos depois, o devido acompanhamento e apoio que lhes tem sido negado!

Aquele abraço infernal!

46 comentários:

Sulista disse...

Assino por baixo!!!

Bjs

adrianeites disse...

sém duvida.

muitos ex combantentes sofrem ainda diáriamente do trauma..

cp's

susana disse...

onde é que assino?

ps - já é tempo de neste país as leis de Belzebu passarem a ser lei de facto

mjf disse...

Olá!
Falando dos ex- combatentes das nossas ex- colonias, embora menos do que seria desejável, estão a ter algum apoio: financeiro,(pouco), através da contagem do tempo para a reforma, e acompanhamento especializado ,aos que se provou sofrerem de stress pos-traumatico...
Nãoserá o ideal...mas é alguma coisa.
Beijos

Blossom disse...

fonix...o meu pai esteve na Guiné - Bissau, mas graças ao criador, a única coisa de que sofreu foi de paludismo durante algum tempo. Mas ainda fala daquilo com enorme emoção, e lá tem as tendências de guerrlheiro quando anda na brincadeira com os netos (pega num cabo de vassoura e faz de metralhadora)
Mas concordo contigo...o Estado desresponsabiliza-se, no caso do meu pai, felizmente, não precisou nem precisa de apoio, mas há milhares de ex combatentes (que foram obrigados a ir para a guerra) que ficaram com mazelas graves...e pensoes de merda!

um bom dia infernal(eheheheh)

Rita disse...

Isto da maneira que está eles limitam-se a protelar por mais 30 e depois já cá não está nenhum...
Jokas

Mocho Falante disse...

Pois é a Ocidente nada de novo, tudo na mesma como a lesma e quem se lixa é o mexilhão.

Abraços

Marta disse...

Olha ao meu pai, acho que esse apoio já não lhe faz falta! Já se habituou ao stress! Nós é que às vezes precisavamos! :)))

Pipokka disse...

Guerra é guerra e estou contigo!

Jokinhas

Sofia disse...

Para não falar nos traumas que essas pessoas, doentes, causam por esse motivo aos seus entes queridos, porque os filhos dessas pessoas sofrem com eles...

Onde é que se assina?!

alexia disse...

Convivi de perto com alguém que passou por lá…não é dos casos piores mas nota-se a falta de apoio!

Abraço!

Francis disse...

Ya... pois...
Vai esperando sentado!...

C Valente disse...

Infelizmente é assim , estou completamente de acordo com o que escreves,
Eu estive no Ultramar, colonias , o que lhe quiserem agora chamar, e o Povo era carne para canhão ,os politicos ,ontem como hojesão uma mª%r3#, não tem respeito poor esse mesmo povo, servem-se dele, para a guerra para os votos .
Saudações amigas

Andreia do Flautim disse...

Será que ainda vai a tempo?

Isabel-F. disse...

"...
Partindo do princípio de que não há guerras de primeira nem guerras de segunda, seria da mais elementar justiça, proporcionar aos nossos ex-combatentes, 30 anos depois, o devido acompanhamento e apoio que lhes tem sido negado!
"

sem dúvida ... é uma das situações que mais me revolta ... e as misérias de pensões que lhes foram atribuídas??? é um nojo ...

eu senti de perto o que o ex-combatentes passaram...

beijinhos

Cati disse...

Pois tens toda a razão... o meu sogro é a pessoa mais afável e calma do mndo. Mas quando "enche"... ui, saiam da frente... a sério, até tenho medo do que ele ainda possa vir a fazer, numa dessas vezes em que perde o norte e ganha um brilho estranho nos olhos, e fala das cabeças que o obrigaram a cortar em África... spooky!!!

Por isso te digo que sim, tens razão, estas pessoas deviam ser psicologicamente acompanhadas, ajudadas a curar as feridas da alma, aquelas que custam a passar, ou nunca passam...

Boa ideia teres trazido este assunto a lume Belzebu! Espero que quem de direito um dia também se lembre e faça alguma coisa...

Beijinho diabólico!

Å®t Øf £övë disse...

Belzebeu,
Há coisas que é bom nem lembrar, porque os nossos governantes gostam de as ignorar, mas lá que tens toda a razão, lá isso tens.
Abraço.

Mocho-Real disse...

Ah, pois seria, seria!
Mas renderia poucos votos, sabes!
E depois, já foi há tantos anos, ainda nem muitos destes ministros andavam a aprender o ofício de políticos... e os outros que já estiveram no poder? Nada fizeram! Então, porque "havemos de fazer nós"? - assim não irão pensando os sucessivos cabeçudos que se vão revezando no poder?

Um abraço engripalhado.

Teté disse...

Olha afinal és um Belzebu... lírico!

Aqui a céptica acredita que deves esperar sentado e quando muito, daqui a outros 30 anos, lá dão umas raspas aos pouco sobreviventes...

Abraço terreno!

herético disse...

e a pensão do Portas? não basta?

traumatizado fiquei eu quando soube dos 100 euros anuais. não é uma "fortuna"?...

deixa lá os gajos estão todos de pés pra cova. porquê sobrecarregar o "déficit"?

al cardoso disse...

O facto da maioria ter sido contra a guerra do ultramar, nao impede nem devia impedir em dar a todos aqueles que embora tambem nao concordando, foram obrigados a faze-la, de toda a ajuda para as sequelas que dali lhe advieram!
Isso so mostraria que somos um povo com governo para todos os portugueses, coisa que nao acontece presentemente e infelizmente!

Um abraco monarquico infernal, do d'Algodres.

Isabel-F. disse...

Belzebu,

tens um prémio para ti no meu Blog. Podes ir buscá-lo.

Beijos

bluegift disse...

Infelizmente a memória é curta.
Caro diabinho, por favor vai ao Conversas e lê o que está escrito no início da coluna do lado direito. Mais uma brincadeira para animar. Abraço.
Ho babe babe it's a wild world!

Cláudia disse...

Até a palavra é feia!
Beijito

Sweet Porcupine disse...

Dizes muito bem.....devido acompanhamento....por vezes quem lida diariamente com esses ex combatentes tem uma guerra diaria!....e por vezes....nada facil!

Beijinhos ouriçaditos

Peter disse...

Os meus parabens pela "coragem" que tiveste em abordar este tema "tabu". Não acrescento mais porque senão nunca mais me calava. Mas digo só mais uma coisa:
- para os que discordam com este texto que "eles" vão apodar de "colonialista" e "imperialista", aconselho vivamente que as próximas férias as gozem no "paraízo" da "Monarquia Comunista" da Coreia do Norte.

Ana disse...

Assino em baixo!!!!!
Eh uma obrigacao do Governo olhar por todas as pessoas que voluntariamente ou nao, combateram na guerra do Ultramar.
Tenho primos que estiveram la mas felizmente voltaram, outros, nao tiveram tanta sorte.
Estou farta de guerras, aqui aonde estou chegam por aviao os caixoes de soldados canadianos, quase todas as semanas, pelo menos aqui ainda prestam homenagem a esses homens e mulheres, nos EUA nem sequer os os nomes sao declarados. Para que? Carne para canhao nao tem nome.Raios!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Hoje é o dia do "Olá". O dia em que internacionalmente se comemora o world hello day, num grito universal de unidade em prol da paz e da justiça. Quando te digo olá eu quero dizer tudo. Mesmo tudo. Mas sobretudo quero caminhar contigo em busca de pessoas que queiram caminhar.
Olá!

Lara disse...

Antes tarde que nunca. Contudo e depois de tanto tempo é de se esperar respostas de revolta de homens magoados e sofridos com uma angústia permanente que guardaram ao longo dos anos de tal forma que dificilmente se libertarão dela...

bjs

Meg disse...

Guerra? Qual guerra, Belzebu?
Quem é que sabe que houve uma guerra? Nem sabem quem foi o Salazar!!!
Mas ainda não morreram todos? Já falta pouco, é só empatar mais uns anitos e ... já cá não está nenhum
para contar.

Ai, Belzebu, Belzebu!!!

Um grande abraço

Marreta disse...

Eu também acho, mas eles têm outra táctica. Como os ex-combatentes já têm à volta de 60 anos (os mais novos)é só esperar mais uns dez ou quinze anitos e a questão fica resolvida...
Saudações do Marreta.

marco disse...

EU ANDO SEMPRE EM GUERRRA COM A NAMORADA, ACENTUA SE MAIS A NOITE QUANDO LHE DOU UMAS PALMADAS NO RABO, MAS DEPOIS DECLARO..PAX...PAX...PAX!

ABRAÇO..KOK!

Peter disse...

Desafio Literário

O Charles Quint e o Tiago do "Notas Soltas, Ideias Tontas" lançaram-nos um desafio:
Escrever a 5a. linha da página 161 do livro que estamos a ler ou lemos ultimamente.
Dando seguimento à iniciativa, segue o convite a alguns que cremos ainda não terem sido desafiados:

António
Augusto
Belzebu
Betty
Herético
Lúcia
Maria Papoila
Marta
Paula
Silêncio Culpado

adrianeites disse...

há premio na tasca para levantar!

PintoRibeiro disse...

A voltar, devagar.
Um abraço.

Carracinha linda! disse...

Só posso dizer que concordo plenamente contigo!!!!

Marco Ferreira disse...

É triste mas é verdade, Portugal nunca foi muito bom em dar valor aos seus soldados.

Que se pode fazer, não é defeito é feitio.

marinheiroaguadoce a navegar

EMN disse...

Como sempre com a razão na ponta da lingua.

Um beijos dos infernos amigo.

emn***

Lua disse...

tens toda a razão!

beijinhos

São disse...

Concordo, pois para eles e família a guerra ainda aí está!
Preciso da sua colaboração. Posso contar consigo? Obrigada desde já!
Boa tarde!

tulipa_negra disse...

clap clap clap
apoiado!

bjs

Hindy disse...

Beijinho hindyado

Lusófona disse...

Qual Estado é preocupado com o "estado psicológico" de seu povo? Isso é menos dinheiro no bolso deles... A guerra já foi, calma lá, deixa morrerem os que ainda estão a tombar que logo aparece um para falar bonito, pra decretar feriado em homenagens e só lenga-lenga... É Vergonhoso!!

Alien8 disse...

Sem dúvida.

Alien David Sousa disse...

Pois diabinho e vamos também acreditar no Pai Natal. Achas que este governo que tem mal tratado tanto o povo, os idosos, aqueles que necessitam tanto de uma reforma decente, que alargou o prazo da reforma, que tem ignorado as nossas necessidades básicas como um sistema de saude minimamente decente entre outras coisas...achas que eles se vão lembrar agora dos nossos ex-combatentes? Não acredito, desculpa , mas não acredito...é viver uma fantasia!
Beijinhos diabinho

Cati disse...
Este comentário foi removido pelo autor.