sexta-feira, maio 12, 2006

Por favor... Shô ministro!


Não deve haver nada de mais diabólico que escutar as conversas dos outros... E é por isso que, cá pelo inferno, vamos fazendo umas escutas telefónicas.
Hoje apanhei esta pérola:



Estou sim? É do Ministério da saúde?
Passe-me por favor ao shô Ministro. É um Amigo... José Silva.
Se faz favor...

Boa tarde shô ministro.
Nao sabe quem sou? Um eleitor amigo shô ministro.
Estou-lhe a telefonar shô ministro por causa da questão das maternidades.
É que estou chateado. Não estou a gostar nada do caminho qu’isto leva. Não me parece nada bem que os nossos filhos tenham que nascer fora de casa.
É que isto é de importância nacional.
Concentre-se shô ministro... o caminho é desconcentrar...
Entao o shô não acha que é mais lógico cada um ter um maternidade em casa?
Não lhe parece?!
Eu explico: Em vez de juntarmos magotes de obstetras e outros médicos, mais os enfermeiros, em grandes hospitais brancos e frios, a solução é criar 300 ou 400 pequenas unidades de intervenção rápida, assim tipo comandos da medicina.Cada unidade terá um obstetra, um enfermeiro, um anestesista, um pediatra, e dois gajos grandes para carregar as máquinas. Quando chegar à central um alerta de parto em perspectiva sai de imediato uma ambulância toda maluca, com sirene e tudo, com o pessoal todo lá dentro, devidamente arrumadinho e uma tenda de urgência, daquelas insufláveis, mas em ponto grande, para montar na sala de jantar da parturiente o bloco de partos de trazer por casa.De Claro que levará toda a sofisticada maquinaria para ajudar à festa.
Desta forma, toda a familia pode assistir ao acontecimento. Até podem dar as palmadas no gaiato e se for preciso ajudar a mãe na respiração.
Não lhe parece bem shô ministro?!
O shô ministro não está a ver a poupança. Não está a ver o tempo que se ganha e o dinheiro que não se gasta só por não ter que levar para os hospitais a futura mãe, o futuro pai e restante família...
O shô ministro não está a compreender o alcance deste projecto visionário.
É um estilo de medicina que só será superado no dia em que aplicarmos a tele-medicina à obstetrícia. No dia em que se poderá dizer finalmente: faça você mesmo o seu parto, ajudada pelo marido, amigos e família, enquanto nós, os especialistas, por teleconferência vamos assegurando que tudo corre conforme previsto.
Lindo!!
Não acha?!!
Mas que mania shô ministro.
Eu sei... eu sei que o povo não ajuda!
Eu sei que o sonho de qualquer Português é ser Pai em plena junta de freguesia.
Mas tem que ser a nossa junta de Freguesia! Não pode ser ao lado, que dá azar, ou então os putos nascem, assim tipo 100 anos de solidão, com um valente rabo de porco
Mas a minha proposta vai mais longe!... Um filho é algo de muito pessoal e por isso, nascer deve ser no recato do lar...

Já imaginou como deve ser terrível para o futuro dos nossos filhos nascerem Portugueses longe da sua casa?
As alterações comportamentais assustadoras que podem ter por nascer em Famalicão em vez de nascer em Sto. Tirso, por nascer em Évora em vez de nascer em Elvas?
Arrepiante, não é, shô ministro?!

Shô ministro! Shô ministro?! Alô?!
É por estas coisas que eu ando triste com a política... ninguém ouve o cidadão...

10 comentários:

Sulista disse...

LOL...faça você mesmo...Ahahaha!!!



...mas a maioria dos "cidadãos" é que puseram lá no poleiro estes (e outros) políticos :-(

Abraço do Sul

Belzebu disse...

Sim senhor! Que pariu! Aí está a verdadeira solução.

Essa tua mente diabólica ultrapassa mesmo a do nosso 1º Sinistro. Venham os "marines" do parto e invadam os lares com epidorais!

Alien8 disse...

Boa, boa! Assim é que se dá o exemplo. Haja imaginação, caramba!
Bom fim de semana e um abraço, que ainda me estou a rir.

sofyatzi disse...

Infelizmente só está no poder quem o cidadão elegeu...e agora...é o que se vê. De qualquer maneira, os politicos são todos iguais: mandam e demandam e o zé povinho que se lixe! O povo não tem voto em nenhuma matéria!
Gostei do post, fez-me rir.

SA disse...

Só falta mesmo é que as crianças sejam concebidas por telepatia!

wind disse...

Gargalhadas:)))) Muito bom:-)

mafarrico disse...

Mas eu acho que ninguém percebeu nada!

O shô ministro quer acabar com a história de uma maternidade para cada cidadão, fechando maternidades com dimensão muito reduzida e com um número de partos abaixo do desejável.
Portanto, com custos elevadíssimos para os cidadãos.
Não se esqueçam que se tratou de uma chamada interceptada ao sr.silva...

SPECTATOR disse...

lol!
viva as escutas e o sigilo bancário ja agora!

Anónimo disse...

Nice idea with this site its better than most of the rubbish I come across.
»

Anónimo disse...

I find some information here.